Pulgas e CarrapatosO fique ligado sobre pulgas e carrapatos trata da importância de se prevenir esses parasitas, pois podem causar danos (até irreversíveis) na saúde dos animais e também doenças em humanos. Veja abaixo o vídeo. o texto original do boletim e algumas dicas para este cuidado, lembrando que nada substitui os conselhos e cuidados de um veterinário:

 

 

TEXTO DO BOLETIM (Elaborado pela CPA)

Cães e gatos precisam estar protegidos das pulgas e carrapatos para manter sua saúde em dia. Além do desconforto da coceira, a infestação por pulgas pode causar alergias e verminoses, e, no caso dos carrapatos, também transmitir doenças aos cães como a babesiose e a erliquiose, que podem levá-los à morte, além de zoonoses aos cães e gatos, ou seja, doenças que podem ser transmitidas ao homem, que são a febre maculosa, a doença de Lyme e a erliquiose felina. Para combatê-los de forma eficaz, é necessário tratar o ambiente com produtos específicos e ao mesmo tempo utilizar métodos de prevenção regularmente nos animais, aplicando neles produtos que hoje em dia existem em diversas apresentações e são altamente eficientes, como pipetas, sprays e coleiras, entre outros. Um veterinário pode ajudar na escolha do produto que será o mais indicado para seu animal, lembrando que a prevenção é sempre o melhor remédio!

 

DICAS PARA A PREVENÇÃO E CUIDADOS

As pulgas e carrapatos se multiplicam muito rapidamente. Se não houver o controle adequado, rapidamente teremos o ambiente infestado desses parasitas. O ideal é sempre prevenir a infestação, utilizando nos animais produtos anti-parasitários, evitando que os mesmos ao terem contato com os parasitas na rua ou outro ambiente, os leve para casa. Se a infestação já ocorreu é importante seguir algumas dicas:

- Não adianta tratar apenas o animal ou apenas o ambiente. O trabalho deverá ser feito em conjunto, ou seja, aplicar produtos anti-parasitários nos animais e ao mesmo tempo em todo o ambiente da casa (áreas externas e internas).

- Os carrapatos, por exemplo, possuem quatro fases em seu desenvolvimento: ovo, larva, ninfa e adulto. Também não adianta utilizar um produto no ambiente que combata o parasita em uma dessas fases e não a outra. O ideal é se informar junto ao fabricante ou a um veterinário qual o mais eficaz para todas as fases ou fazer uma combinação de produtos, mas cuidado, sempre com orientação, pois principalmente combinados esses produtos podem ser muito tóxicos aos animais se utilizados de forma incorreta.

- Uma boa parte dos produtos utilizados para tratar o ambiente exigem que o animal não permaneça nele durante determinado tempo, sob risco de intoxicação.

- Não devem ser dados banhos no animal com produtos inadequados (feitos para bois ou cavalos, por exemplo). Eles poderão intoxicar seu cão.

- O tratamento do animal e do ambiente deve ser contínuo enquanto durar a infestação, sempre levando em conta as especificações do produto (sem excessos). A infestação é de difícil controle e havendo intervalos maiores do que o recomendado, todo trabalho pode ser perdido e haver um aumento da infestação.

- Antes de aplicar um anti-parasitário no animal, é recomendado um bom banho com sabonete próprio, ajudando a eliminar parte da infestação, secá-lo bem e só depois de bem seco aplicar anti-parasitários.

 

Em resumo, o ideal é selecionar um bom produto a ser utilizado no animal e um ou mais produtos para o ambiente, levando em conta sempre os que conseguirem combater mais fases da vida do parasita. Retirar o animal do ambiente que sofrerá o tratamento, aplicar o produto nele. Em seguida tratar todo o ambiente, cada fresta (local preferido dos parasitas). Tratar também gramados e regiões externas. Só depois do período indicado pelo fabricante ou veterinário, retornar com o animal ao ambiente. Repetir esses procedimentos até pelo menos dois meses após a percepção do fim da infestação. E mesmo aparentemente não havendo mais parasitas, retomar o cuidado de forma menos intensa como meio e prevenção, tendo cuidado especial com o verão, época de maior reprodução dos carrapatos e pulgas. 

 

SINTOMAS NO ANIMAL

Em cães os carrapatos e pulgas podem causar a BABESIA, ERLICHIA ou outras doenças fatais. Se você percebeu algum desses parasitas em seu animal, importante além de tratar a infestação observar o comportamento dele, pois se aparecer alguma alteração de comportamento, deve-se correr ao veterinário, informando inclusive da infestação. Quanto antes for iniciado o tratamento, maiores as chances de salvá-lo.

Os principais sintomas a serem observados são:

- Depressão

- Letargia (ficar com aparente preguiça, lento, jogado num canto, deitado todo o dia, etc)

- Redução na alimentação, perda de peso

- em alguns casos, febre

 

Cuide bem de seu melhor amigo! #fiqueligado!

 

Universidade Federal Fluminense
Campus Nova Friburgo
Programa Sustenta-Vida

NOSSOS PARCEIROS

Prestigiar empresas que apoiam projetos sociais e ambientais é garantir a continuidade do trabalho! Prestigie seus produtos ou serviços! Clique sobre as logos para conhecer mais nossos parceiros:

InterTV

Logo CPA

Colégio Nicolau Gachet

 

Contato

Para fazer um contato rápido conosco, basta preencher este pequeno formulário!
Email:
Assunto:
Mensagem:
Para termos certeza que não é um SPAM, responda quanto é 2x3:
Programa de Extensão Sustenta-Vida
Ações em respeito aos animais
Ajudando a cuidar!

    

© 2017- Adriano Freitas. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Adriano Freitas

Menu Celular